O Yoga oferece alguns óbvios benefícios: redução de estresse, flexibilidade, e sensação de melhora no bem-estar. Mas, um artigo do New York Times (que você pode ler aqui), questiona se a atividade pode se enquadrar em um exercício aeróbio?

A atividade aeróbia é caracterizada pela elevação da frequência cardíaca e pelo aumento do uso de oxigênio pelo organismo. Além disso, está intimamente ligada à melhoria da saúde e ao prolongamento da vida. Atualmente, indica-se que o ideal é que as pessoas façam, ao menos, 150 minutos de exercícios aeróbios moderados por semana. O NYT aponta, porém, que poucos estudos examinam se o Yoga poderia se enquadrar nessas diretrizes. Agora, dois estudos, na Complementary Therapies in Medicine, apontam que sim, poderia se enquadrar, ao menos se for feito rapidamente.

O Yoga consiste em poses (asanas) intercaladas com ou seguidas por exercícios de respiração e meditação. Os movimentos mais famosos fazem parte da “Saudação ao Sol”, uma sequência de poses que inclui a Posição do cachorro voltado para baixo, entre outras. Em geral, a série é realizada no início da aula de yoga e pode estar entre os movimentos mais exigente fisicamente. A energia gasta por aqueles que se movem lentamente durante a saudação ao sol se compara, geralmente, a caminhar a quase 5km por hora, segundo o artigo. Esse é o caso do yoga padrão e para a sequência feita no Bikram – hot yoga.

Cientistas na Universidade de Miami, nos Estados Unidos, se perguntaram se o yoga mais vigoroso traria os mesmos benefícios dos exercícios aeróbios. Para fazer os testes, eles selecionaram 22 homens e mulheres que colocaram máscaras e sensores que mediam o gasto energético e a atividade muscular. Foi, então, solicitado, que completassem o máximo de saudações ao sol possíveis durante 8 minutos, ficando de 3 a 12 segundos em cada pose. Os voluntários já praticavam Yoga.

É claro que fazer yoga rapidamente exigiu um grande esforço e queimou muito mais calorias: cerca de 48 calorias durante os 8 minutos de saudação ao sol, comparado a 29 calorias gastas na saudação ao sol “padrão”. Mas os pesquisadores ficaram intrigados ao descobrir que o maior esforço estava entre as poses e não durante as poses.

As saudações, principalmente quando feitas 3 vezes mais rapidamente, funcionavam como HIIT (treinamento de alta intensidade intervalado), afirmou Joseph Signolile, um professor na Universidade de Miami e um dos autores dos estudos. As transições entre as poses eram similares a uma corrida, ele afirmou, enquanto as poses eram um breve momento de recuperação. Oito minutos de quase todos os tipos de HIIT se qualifica como exercício aeróbico.

Claro que a maior parte das aulas de Yoga não é estruturada como esse experimento foi. Aqueles que buscam um esforço físico devem buscar aulas classificadas como “power” yoga, de acordo com Melanie Potiaumpai, que também participou dos estudos.

O Dr. Signorile, porém, também reconhece as virtudes não aeróbicas do Yoga. “Não estamos dizendo para você ignorar a meditação”, afirma. A meditação proporciona benefícios psicológicos significativos. Mas a energia gasta para alcançar esses ganhos é aproximadamente a mesma que você gastaria tirando uma soneca.