Você sabe como o cooper começou no Brasil?

//Você sabe como o cooper começou no Brasil?

Você sabe como o cooper começou no Brasil?

Tão antigo quanto a história do homem, o ato de correr inicialmente significava caçar, fugir, deslocar-se, entre outras coisas. Além disso, a corrida era – e ainda é – amplamente utilizada nas forças armadas como forma de preparação física dos militares.

Por isso, passou a ser um hábito na vida dos cidadãos e, na década de 1970, foi impulsionada pelo Dr. Kenneth Cooper.

Naquela década, ele criou o “Teste de Cooper”, no qual a pessoa corre a maior distância possível em 12 minutos para ser classificada em um nível de aptidão. O método foi tão popularizado que “fazer um cooper” se tornou sinônimo de ir “dar uma corrida”.

Outro jargão comum no exterior desde a década de 1960 e que passou a fazer parte do dia a dia do brasileiro é “fazer jogging”, que seria uma corrida não muito forte com o objetivo de melhorar a saúde e ter lazer.

cooper

A corrida começa, então, a fazer parte do cotidiano dos brasileiros e, em 1979, acontece a 1ª Maratona Internacional do Rio de Janeiro, que entra para o calendário nacional de provas de rua e rapidamente é homologada pela International Association Athletics Federations (IAAF) como parte de calendário mundial de maratonas.

Na década de 1980, Lagoa Rodrigo de Freitas, Copacabana, Aterro, Ipanema e Quinta da Boa Vista viram destino de diversão dos atletas para treinos e provas.

Com o crescimento deste mercado no Brasil e no mundo, várias fábricas de tênis passaram a pesquisar e produzir melhores calçados, e os métodos de treinamento têm uma nova ótica. Isso contribui para que o desempenho do atleta profissional e amador melhore.

Walter Tuche é mestre em Educação Física, sócio-fundador da Walter Tuche Assessoria Esportiva, treinador e atleta de provas como maratonas, Iroman e L’Étape du Tour de France.

Por |2018-11-07T20:39:13+00:0008/05/2015|

Sobre o Autor: