Três perguntas sobre a pubalgia

//Três perguntas sobre a pubalgia

Três perguntas sobre a pubalgia

*Por Gustavo Asmar, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

O que é a pubalgia?

A dor na virilha ou no baixo abdômen é uma queixa comum em praticantes de atividade fisica, principalmente em esportes com mudanças bruscas de direção ou com microgramas repetitivos, como por exemplo, o futebol, tênis, corrida e jiu-jitsu.

Quais são as principais causas?

A pubalgia não tem que ser vista como uma lesão e sim um sintoma, que pode ter diversas causas. O púbis é o centro de gravidade do corpo humano e nele se inserem os músculos reto abdominal, oblíquos, adutores, sartório , ílio-psoas e reto femoral. Portanto, é uma área que sofre grandes tensões musculares e qualquer lesão destes músculos ou alteração biomecânica das articulações adjacentes, principalmente dos quadris, pode gerar uma dor na região da virilha ou do baixo abdômen. As lesões tendinosas e musculares das estruturas citadas acima são as causas mais comuns de dores nessa região.

Outra importante causa são as lesões intra articulares do quadril. Entre elas, está o impacto femuroacetabular e as lesões do labrum, que vem sendo cada vez mais estudadas e diagnosticadas. Elas alteram toda a biomecânica da pelve iniciando o quadro com uma dor difusa na virilha ou no púbis. A resolução destas lesões é cirúrgica através de cirurgias minimamente invasivas via artroscopia do quadril. Quanto mais precoce o diagnóstico, menos agressivo será o procedimento e maior a chance do seu sucesso, em média o retorno aos treinamentos e às competições é de 3 meses.

Além das causas ortopédicas, temos doenças urológicas ( como as infeções urinárias ), abdominais ( hérnias e apendicites ) e ginecológicas ( doenças inflamatórias pélvicas ) que nunca devem ser esquecidas. Trabalhos de parto, com período expulsivo prolongado também podem causar dor na região e na imensa maioria dos casos a melhora é espontânea.

Como são feitos o diagnósitco e o tratamento?

O tratamento inicial baseia-se em uso de anti-inflamatórios e em fisioterapia objetivando findar o processo inflamatório assim como alongar e reforçar as estruturas lesionadas. A indicação cirúrgica decorre de insucesso após três meses de tentativa conservadora e em atletas de alta performance, este tempo é reduzido para 6 semanas. Um diagnóstico difícil de ser realizado é a hérnia do esporte ou “sportman hernia “, que se caracteriza por uma fraqueza da parede posterior abdominal e cujo o diagnóstico, na maiorias das vezes, é apenas realizado através de ultrassonografia dinâmica abdominal. Seu tratamento calca-se em um procedimento cirúrgico minimamente invasivo de reforço desta parede com excelente resultado do quadro clínico, possibilitando ao atleta retornar às suas atividades em menos de 2 meses do procedimento. É válido reforçar que pela grande relação anatômica e biomecânica entre estes músculos e articulações , não são raras a combinações destas lesões , sendo necessário sempre investigar todas as estruturas e tratar cada uma delas.

O diagnóstico e tratamento precoces possibilitam indicações de procedimentos menos invasivos e agressivos, com maiores índices de sucesso terapêutico e retorno precoce aos treinamentos.

Nos dias de hoje, cada vez é mais raro a pubalgia impedir a prática esportiva como acontecia antigamente, num tempo em que se tratava apenas o sintoma da dor local, considerando que todos os problemas eram causados por uma doença no articulação pubiana. Dor na região da virilha e baixo abdômen em praticantes de atividade física deve ser sempre avaliada com  por um ortopedista especializado no assunto. 

Por |2018-11-07T20:35:44+00:0005/03/2018|

Sobre o Autor: