*Por Alexandre Silva de Paula, Master Trainer

Alguns pais já notaram; outros ainda não. Brincar é muito importante para o desenvolvimento motor, cognitivo e socioafetivo da criança. Aqui, não estamos focando as aulas de esporte ou as atividades físicas dirigidas com planejamentos e avaliações, mas, sim, estamos reforçando a importância da diversão, dos jogos e das brincadeiras que não tenham direcionamento como objetivo principal.

Criatividade e mente livre são palavras essenciais para o desenvolvimento infantil, seja no playground, no parque, na rua, em casa ou em qualquer espaço onde a criança possa testar e conhecer melhor seu corpo e suas possibilidades.

Ao testar suas habilidades através de movimentos simples presentes nos jogos e nas brincadeiras, a criança acaba se conhecendo melhor e desenvolvendo a noção do que ela consegue ou não consegue fazer. O erro comum é imaginar que somente a educação física escolar, a natação ou o futsal são suficientes para que a criança se desenvolva de maneira plena. Deixar um tempo livre para que ela se divirta e crie suas próprias brincadeiras certamente estimularão não só o corpo, mas o cérebro também, evoluindo o ser humano por um todo.

O desenvolvimento de habilidades (correr, saltar, rolar, agachar etc.) aumenta a possibilidade de melhorias na capacidade motora, facilitando o corpo a se adaptar e a gostar da prática de atividade física, o que será muito importante na vida adulta. O início da vida da criança com brincadeiras livres e com direcionamento correto à atividade física potencializa a formação de um adulto rico em vocabulário motor, que valorizará a importância de uma rotina saudável com exercícios por muitos e muitos anos.