Você teve um dia exaustivo, deitou na cama e desmaiou. No entanto, ao acordar, seu parceiro revela que seu ronco ecoou durante toda a noite. Apesar de considerarmos isso normal após um dia cansativo, o Dr. Ullyanov Toscano, médico-cirurgião de cabeça e pescoço da UFRJ alerta que roncar quando está cansado pode ser mais do que apenas um incômodo; pode ser um sinal de problemas de saúde, especialmente quando relacionado à atividade física.

A fisiologia por trás do ronco

O ronco, que afeta até 25% da população mundial, é frequentemente associado à apneia obstrutiva do sono. Esse fenômeno ocorre devido ao relaxamento excessivo da língua, úvula e palato mole, estreitando as vias aéreas e causando vibrações musculares audíveis. Fatores como o consumo de álcool, uso de medicamentos, idade e até mesmo o excesso de peso podem contribuir para esse problema.

“O ronco é visto como uma obstrução parcial da via aérea, não sendo considerado normal. É um problema que merece atenção, um complicador da saúde e da qualidade do sono”, alerta o Dr. Gleison Guimarães, pneumologista especialista em medicina do sono.

Relação entre ronco e atividade física

A relação entre o ronco e a atividade física vai além do cansaço diário. Adultos que roncam desde jovens estão propensos a complicações decorrentes das alterações crônicas. O ronco pode influenciar na anatomia orofacial, aumentar o risco de apneia obstrutiva do sono e interferir na qualidade do sono de quem está ao seu lado.

Fatores agravantes e causas potenciais

Além disso, fatores como obesidade, consumo de álcool e tabagismo contribuem para o agravamento do ronco. A obstrução nasal, deposição de gordura cervical e anatomia desfavorável da orofaringe são outras causas potenciais.

O Dr. Ullyanov Toscano destaca que o ronco prolongado pode ser sintoma de apneia obstrutiva do sono, um distúrbio grave associado a riscos como hipertensão, acidente vascular cerebral e infarto. O tratamento pode envolver opções como o “marca-passo” da língua, que utiliza pequenos choques elétricos para impedir o relaxamento muscular.

Buscando ajuda médica

Mesmo que seu parceiro não se incomode com o ronco, consultar um médico especialista em distúrbios do sono é crucial. Exames podem determinar se há suspeita de apneia do sono, orientando o melhor tratamento. A cirurgia robótica é uma opção inovadora em casos mais graves.

Lembre-se: o ronco não deve ser ignorado, especialmente quando relacionado à atividade física. Cuidar da qualidade do sono melhora a saúde geral. Ao reconhecer os sinais precoces e buscar ajuda médica, é possível garantir noites de sono tranquilas e uma vida mais saudável.