Exposição a telas é causa de depressão infantil, diz estudo

//Exposição a telas é causa de depressão infantil, diz estudo

Exposição a telas é causa de depressão infantil, diz estudo

É impossível imaginar um dia inteiro sem exposição à tecnologia. As telas estão presentes em todos os estabelecimentos e o celular virou um item quase obrigatório nas nossas vidas, tanto para nos desconectarmos através de jogos, séries ou filmes, quanto para trabalhar, estudar, se comunicar e ficar por dentro do que está acontecendo no mundo.

É claro que a exposição a essas telas não se restringe ao universo adulto. Cada vez mais cedo as crianças têm acesso a aparelhos eletrônicos, como tablets e celulares. A telinha com desenhos infantis e músicas animadas pode ajudar a entreter os pequenos, mas também pode ser muito prejudicial à saúde deles caso a exposição seja prolongada.

De acordo com a pesquisa publicada em reportagem do site G1, muito tempo gasto em jogos, smartphones e televisão está relacionado a diagnósticos de ansiedade ou depressão em crianças a partir dos dois anos de idade. O estudo realizado por Jean Twenge, psicólogo da Universidade Estadual de San Diego, e Keith Campbell, professor de psicologia da Universidade da Geórgia, aponta que mesmo depois de apenas uma hora de tela por dia, crianças e adolescentes podem começar a ter menos curiosidade, menor autocontrole, menos estabilidade emocional e maior incapacidade de terminar tarefas.

Entre os jovens, a pesquisa apresenta um resultado bastante significativo: os adolescentes que passam mais de sete horas por dia expostos a esses aparelhos eletrônicos são duas vezes mais propensos a desenvolver um quadro de ansiedade e depressão do que aqueles que fazem uso por uma hora. O uso moderado, de quatro horas por dia, também está relacionado a um nível de bem-estar psicológico menor do que os que ficam em frente a telas por 60 minutos.

Não há dúvidas de que a tecnologia já é parte da vida moderna e nos ajuda em diversos aspectos, além de ser fonte de entretenimento para todas as idades. Apesar disso, é fundamental que crianças e adolescentes tenham um acompanhamento para não extrapolar no tempo de uso desses aparelhos eletrônicos.  Principalmente nos primeiros anos de vida, é fundamental exercitar todos os sentidos, manter o corpo ativo, brincar, explorar. Esse equilíbrio entre o ‘on’ e o ‘off’, aliado ao uso consciente das tecnologias, pode resultar um um desenvolvimento mais saudável ao longo da infância.

Por |2019-03-07T18:41:58-02:0018/02/2019|