Esportes podem aproximar pais e filhos

//Esportes podem aproximar pais e filhos

Esportes podem aproximar pais e filhos

A prática de atividades físicas entre pais e filhos pode melhorar e estreitar a relação familiar. A psicóloga e psicanalista Blenda de Oliveira explica que “toda oportunidade que os pais têm para estarem junto aos filhos numa situação lúdica e de brincadeiras, sem dúvida, traz infinitos ganhos na intimidade entre pais e filhos”. O esporte, claro, é uma dessas atividades – “desde que não tenha um intuito de exigência competitiva”, frisa.

Há, porém, um ponto importante: os pais devem estar atentos ao que seus filhos gostam de fazer. “Obrigá-los a fazer uma atividade física porque é o que os pais desejam pode resultar em momentos muito mais desconfortáveis que de descobertas e proximidades”.

Quais os benefícios da prática de atividades físicas para pais e filhos?

Os benefícios são inúmeros. O mais importante é ter momentos de proximidade, conversas e ensinamentos com a família. Outro benefício é incentivar desde cedo a prática do esporte que tem como característica o conhecimento do corpo, das suas possibilidades e dos limites que podem ser ampliados ou não. Do ponto de vista do desenvolvimento cognitivo, a prática da atividade física desde muito cedo proporciona o desenvolvimento amplo de diversas áreas do cérebro. Crianças que possuem liberdade de explorar o espaço, a natureza e o próprio corpo desenvolvem maior coordenação, concentração e disciplina. Claro que quando isso é acompanhado e incentivado pelos pais ou praticado junto, esses ganhos se multiplicam.

Que esportes são mais indicados?

Depende da idade de cada criança e das possibilidades de oferecimento dos pais. Importante ressaltar que a atividade física para crianças e adolescentes deve representar momentos de prazer, mesmo que necessite esforço e concentração. Os pais devem observar o que é mais próximo da vontade da criança, pode ser a bola, a água, o skate, a bicicleta etc. De nada adianta os pais atravessarem as crianças com suas próprias preferências ou seus sonhos. Por exemplo, querer que o filho se torne um tenista porque esse é o esporte preferido ou admirado pelos pais. A individualidade, a idade, a preferência da criança devem ser sempre levadas em consideração. Não há esportes mais indicados. Há esportes que cabem melhor no contexto e na vontade da criança. Essa escolha requer que se ofereçam muitas possibilidades e, a partir das experiências em cada modalidade, as escolhas poderão ser feitas e, em alguns casos, modificadas.

Por |2018-11-07T20:13:11-02:0022/09/2016|

Sobre o Autor: