Em sua busca por um estilo de vida mais saudável e pela conquista do corpo desejado, muitas pessoas se questionam: “Como saber que estou emagrecendo se o peso não muda?”. A Dra. Maria Clara Martins, médica endocrinologista, metabologista e nutróloga, conversou com o blog da Bodytech e destacou que a balança, embora comum, pode não ser a ferramenta mais precisa para avaliar o verdadeiro progresso no emagrecimento. Vamos, juntos, explorar indicadores além do peso na balança que oferecem uma visão mais detalhada e confiável do processo de transformação corporal.

Fotografias e medidas corporais

Segundo a Dra. Maria Clara Martins, no início do emagrecimento, a balança pode iludir, já que a perda inicial muitas vezes está relacionada à redução de líquidos. A médica recomenda o uso de alternativas mais confiáveis, como fotografias mensais do corpo em diferentes ângulos e a medição das circunferências abdominal e do quadril. Manter consistência nas condições da foto, como local e horário, proporciona uma visão mais precisa da evolução. E, é claro, as roupas não mentem – uma calça jeans ou uma camisa de botões podem revelar mais do que a balança.

Variações temporárias e bioimpedância

A endocrinologista destaca que variações temporárias no peso, como retenção de líquidos, podem influenciar a leitura da balança, especialmente para mulheres durante o ciclo menstrual. A bioimpedância, uma ferramenta que analisa a composição corporal, é considerada pela Dra. Martins como valiosa. Além de fornecer o peso, ela avalia a porcentagem de gordura, massa magra e até o peso dos ossos, oferecendo uma visão mais abrangente do emagrecimento real.

Exercício físico e seus benefícios

De acordo com Martins, o exercício físico desempenha um papel crucial no emagrecimento, indo além da simples queima de calorias. A longo prazo, contribui para o aumento da massa magra, elevando o metabolismo basal e promovendo uma sensação duradoura de bem-estar. Os níveis de endorfina, neurotransmissor ligado ao prazer, são ampliados, reduzindo a ansiedade e o apetite. Embora músculos pesem mais que gordura, a bioimpedância é uma ferramenta fundamental para monitorar o progresso, aconselha a Dra. Maria Clara.

A influência da alimentação na percepção de emagrecimento

Segundo Maria Clara, uma alimentação saudável e equilibrada vai além dos números na balança. Mesmo quando o peso estaciona, os efeitos de desinflamação tornam-se evidentes. O abdômen parece menos distendido, a pele mais lisa e o rosto rejuvenescido – sinais tangíveis de um emagrecimento saudável. A observação desses resultados pode ser tão crucial quanto o próprio peso ao avaliar o progresso em direção aos objetivos de bem-estar.

Em resumo, ao buscar uma abordagem mais holística para medir o emagrecimento, a Dra. Maria Clara Martins destaca a importância de considerar indicadores além da balança. Fotografias, medidas corporais, bioimpedância, atividade física e uma alimentação balanceada formam um conjunto mais confiável para acompanhar e celebrar o verdadeiro progresso em direção a uma vida mais saudável e satisfatória.

Leia mais sobre a dieta anti-inflamatória aqui.