Ficar com a região abdominal bem definida é um dos maiores desejos de quem se exercita. Crenças como fazer cada vez mais repetições e aumentar a carga sem restrições são práticas comuns para esse fim, mas não faltam mitos sobre o assunto. Beto Abrahão, especialista Bodytech fala sobre os riscos e o que de fato funciona para esse propósito:

“Um dos objetivos mais buscados dentro de uma sala de musculação é a definição da musculatura. Para isso, muitos alunos pedem abdominais que exigem mais do próprio corpo. Às vezes, acabam fazendo até mais por conta própria.

Porém, um dos maiores pesquisadores sobre coluna lombar, o canadense Stuart Mcgill, relacionou em um dos seus estudos o grande índice de lesões na região geradas por movimentos de flexão de coluna, ou seja, o popular abdominal. Segundo o estudo, para trabalhar o músculo reto do abdômen não é necessário flexionar a coluna, uma vez que esse músculo é estabilizador em vários movimentos do corpo humano.”

É importante notar que o excesso nos treinos não vai provocar uma aceleração dos resultados: “Exercícios de estabilizações, como as pontes frontal, inversa e lateral mostraram-se bastante eficientes em fortalecimento de coluna. Portanto galera, sem loucuras na hora de fazer abdominal, lembrem-se que para definir é fundamental uma dieta balanceada, com auxílio de atividade aeróbica. Sempre treine com qualidade e não exagere na quantidade”, conclui o profissional.