Com a estação mais quente do ano batendo na porta, o corpo pede alimentos refrescantes e, claro, muita hidratação. 

No entanto, é comum nos descuidarmos da ingestão adequada de líquidos. Seja porque consumimos mais drinques e bebidas alcoólicas ou não percebemos os sinais da desidratação. 

Quais são os sinais da desidratação?

De acordo com Vanessa Losano, nutricionista e supervisora de Saúde da Vitat, a sede é o primeiro alerta que o corpo dá quando está passando por um quadro de desidratação. 

Contudo, mesmo com vontade de beber água, muitas pessoas conseguem lidar com o incômodo. Se for o seu caso, a especialista afirma que há outros sinais: “Pele e boca secas e diminuição da produção de urina também são indícios de que o organismo precisa repor líquidos”. 

Por que desidratamos?

Sabemos que as altas temperaturas favorecem a perda maior de líquidos. Mas, o fato de não beber água também conta. Então, se você não se hidrata adequadamente, não importa se está frio ou calor – o risco de desidratação é igual. 

“Além disso, sudorese intensa, diarreia, febres prolongadas e uso de diuréticos sem beber água junto também colaboram para a condição”, acrescenta Vanessa. 

Os diuréticos os quais a nutricionista se refere são aqueles que estimulam a eliminação de líquidos, sobretudo por meio da urina. Chá verde, café, energéticos e bebidas destiladas possuem essa propriedade. 

Como evitar a desidratação

A primeira e mais óbvia dica é beber água, não tem segredo. “Uma boa forma de saber a quantidade ideal é calcular de 30 a 35 mL de água por cada quilo do seu peso. Mas vale lembrar que a necessidade pode ser maior em dias mais quentes, que é quando transpiramos mais”, aconselha a expert da Vitat

Se você tem dificuldades para pegar na garrafinha, a recomendação é incluir pedaços de frutas na água. Por exemplo, rodelas de limão, laranja e lascas de gengibre. Assim, a água ganha um sabor mais atrativo e incentiva o consumo. 

Vanessa Losano lembra que alguns alimentos também ajudam a fechar a conta da hidratação, como a melancia, melão e sucos de fruta sem açúcar, de preferência. 

“Porém, casos severos de desidratação podem exigir a reposição intravenosa. Em situações amenas, o soro caseiro, assim como água e bebidas isotônicas auxiliam na recuperação”, finaliza.

Movimente-se, mas com sabedoria

Os dias quentes e ensolarados são um convite para a atividade física ao ar livre. Ao se exercitar sob o sol, escolha o início do dia ou o final da tarde, quando o clima está mais agradável e a transpiração diminui. E não se esqueça de seguir as dicas acima enquanto pratica seu esporte favorito!

Fonte: Vanessa Losano, nutricionista e supervisora de Saúde da Vitat.