* Por Gabriel Alvarenga, responsável pelo serviço de nutrição das academias Bodytech Rio de Janeiro e Brasília

Ingerir a quantidade correta de proteínas é de extrema importância para quem pratica atividade física, seja o objetivo ganhar massa muscular ou emagrecer.

Para os interessados em ganho de massa muscular, quantidades insuficientes de proteína limitam tal objetivo.

Para os que buscam perda de gordura, as proteínas são importantes nas dietas de emagrecimento para que haja a preservação da massa magra (como as fibras musculares têm um metabolismo maior do que as células gordurosas, um corpo com mais massa muscular consume proporcionalmente mais energia para se manter em repouso).

Para o máximo aproveitamento desse nutriente, é importante escolher as melhores fontes de proteína.

Veja quais são:
* Carnes vermelhas, aves, peixes, frutos do mar: a cada 100g, há uma média de 20g a 30g de proteína. É importante salientar que cada tipo possui quantidades e tipos variáveis de gorduras, mais ou menos saudáveis. Não possuem carboidrato e têm absorção lenta;
* Whey protein (proteína do soro do leite): as do tipo “isolado” ou “hidrolisado” (melhor qualidade e absorção mais rápida) apresentam teores em torno de 80 a 90g de proteína a cada 100g. São de rápida absorção e têm baixos teores de carboidratos. Alerta: há produtos com qualidade inferior (do tipo concentrado), nos quais os teores de proteína podem variar entre 20g a 80g a cada 100g. A quantidade de carboidratos também é maior, com lactose entre eles, e a absorção, mais lenta;
* Proteína isolada de soja: a cada 100g, 88g são de proteína. Possui fibras, poucos carboidratos e gordura saturada. São uma alternativa para pessoas com alergia à proteína do leite, como o whey. Assim como no caso do whey, as variedades de proteína de soja inferiores (concentradas) apresentarão variação na quantidade de proteína de (20g a 60g).