*Por Carolina Paz, nutricionista consultora Bodytech (unidades Città, Érico Veríssimo e Leblon1 – General Urquiza)

Se você é daqueles que vive no efeito sanfona (ou efeito io-iô), com grandes variações de peso, emagrecendo e engordando com frequência, saiba que esse processo gera mais sofrimento metabólico (em outras palavras, é pior para o nosso corpo) do que permanecer acima do peso.

Isso geralmente é resultado de tentativas de emagrecimento com dietas “da moda” ou muito restritivas, não houve de fato mudança dos hábitos alimentares.

Para evitar que isso aconteça e poupar seu metabolismo, é importante:

– Evitar dietas muito restritivas: algo que não possa ser replicado por muito tempo tem grandes chances de fracassar. Além disso, “fechar a boca” pode até ter um efeito de emagrecimento rápido num primeiro momento, mas não irá se sustentar, pois o metabolismo entra em modo de sobrevivência e desacelera;

– Perder peso lentamente: se você acha que para se sentir motivado precisa perder vários quilos em poucas semanas, saiba que quanto mais rápido emagrecemos, mais difícil é para manter o peso perdido. Além disso, grandes perdas num curto intervalo de tempo envolvem perda de massa muscular, o que desacelera ainda mais o metabolismo, dificultando a continuidade do emagrecimento e levando ao famoso efeito platô;

– Comer em intervalos regulares e pequenas porções, evitando ficar longos períodos sem se alimentar: o intervalo ideal entre as refeições é de 3 horas, podendo ser de no mínimo 2 horas e no máximo 4 horas. Além de acelerar o metabolismo, comer pouco e sempre faz com que a fome diminua, o que facilita o controle das quantidades;

– Em vez de de contar calorias, contar nutrientes! Nosso corpo é uma máquina perfeita e precisa dos combustíveis certos para funcionar bem, por isso é importante ter uma alimentação equilibrada que traga todos os nutrientes que seu organismo precisa;

– Variar sua alimentação: a monotonia alimentar é outra chave para o insucesso. Experimente novos sabores e novas texturas, consumindo diariamente frutas, legumes e verduras;

– Mudar seu pensamento: em vez de “Estou de dieta”, pense “Estou mudando meus hábitos alimentares”. As mudanças devem ser incorporadas à sua rotina, caso contrário, quando você terminar a dieta e voltar a comer como antes, irá engordar novamente.

As informações aqui são generalizadas. Para um plano alimentar personalizado, de acordo com sua rotina e preferências, procure a ajuda de um nutricionista. Ele é o profissional capacitado a orientá-lo nessa caminhada para o emagrecimento saudável e duradouro!