Se você já passou dos 40 anos e está sentindo um cansaço além do normal, isso pode ser um sinal de que algo no seu organismo não está funcionando corretamente. Esse é um sintoma comum na menopausa, causado por desequilíbrios hormonais, alterações de humor e falta de sono. No entanto, quando o cansaço é extremo, é importante ficar alerta. Para esclarecer algumas questões sobre esse assunto, o blog da BT conversou com o Dr. Cristiano Merheb, médico especializado em emagrecimento, rejuvenescimento, longevidade e vida saudável.

O impacto da menopausa nos níveis de estrogênio

“O sintoma de cansaço extremo acontece devido à falência dos ovários e queda dos níveis de estrogênio. A insônia pode surgir anos antes da menopausa e se agravar no período que a antecede. Mulheres ansiosas ou deprimidas costumam ter maior dificuldade para dormir. O cansaço extremo pode indicar uma deficiência de ferro e testosterona. Nesses casos, é importante procurar um profissional especializado”, explica o Dr. Cristiano Merheb, médico especializado em emagrecimento, rejuvenescimento, longevidade e vida saudável.

Fadiga: um sintoma comum da menopausa

A fadiga debilitante é um sintoma comum da menopausa, frequentemente atribuído a níveis hormonais flutuantes. Uma vez que os hormônios se estabilizam, a maioria das mulheres recupera a energia. No entanto, se o cansaço persistir e vier acompanhado de outros sinais, como falta de ar, pele pálida, dores de cabeça e tontura, pode ser um indício de deficiência de ferro.

Deficiência de ferro: a principal causa de anemia no mundo

A deficiência de ferro é a principal causa de anemia no mundo e afeta 33% das mulheres não grávidas, 40% das mulheres grávidas e 42% das crianças, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A anemia pode ocorrer devido à ingestão inadequada de ferro, má absorção ou perda de sangue. “Ele é essencial para a produção das células vermelhas, que carregam oxigênio no organismo. Na falta dele, a produção de hemácias diminui e a pessoa sente-se mais cansada, sem ar, fraca, com dificuldade de memorização ou aprendizagem”, comenta o Dr. Merheb.

A importância de uma alimentação rica em ferro

Consumir alimentos ricos em ferritina é altamente recomendado, mas muitas mulheres não sabem que a absorção intestinal do ferro aumenta quando a vitamina C também está presente no intestino. “A carne contém a forma de ferro heme, que o corpo absorve mais facilmente, enquanto as plantas contêm a forma não heme, que não é absorvida rapidamente pelo organismo. Combinar ambas em uma refeição é importante para regulá-lo”, explica o Dr. Merheb.

Atualmente, os níveis considerados saudáveis de ferro e ferritina no sangue em mulheres são acima de 50 mcg/dl e 15 mcg/l, respectivamente. Existe uma discussão em torno do aumento desses números para o sexo feminino, visando reduzir o risco de anemia e melhorar as funções dessas substâncias no organismo, mas ainda não há um consenso definitivo.

Cuide da sua saúde

Se você costuma sentir cansaço, indisposição e fraqueza, é importante procurar um profissional para realizar exames de sangue. O cansaço recorrente, a indisposição, a obesidade, a osteoporose e a diminuição da longevidade com qualidade são sinais que não devem ser ignorados.

A obesidade, por exemplo, é uma grande causa de indisposição e baixa testosterona. Para combater esses problemas, é necessária uma mudança completa no estilo de vida, com uma alimentação balanceada e a prática regular de atividades físicas. Pessoas sedentárias e obesas têm maior probabilidade de experimentar cansaço excessivo durante a menopausa e níveis baixos de testosterona.

Não ignore os sinais do seu corpo. Cuide-se e procure sempre orientação médica para manter sua saúde e bem-estar em dia durante a menopausa.