As aulas coletivas no novo normal

//As aulas coletivas no novo normal

As aulas coletivas no novo normal

Muita gente está voltando à rotina fora de casa e os treinos na academia fazem parte desse retorno. Mesmo pra quem já praticava exercícios físicos ou vai iniciar agora é muito importante variar as atividades para aumentar a sensação de prazer e manter uma vida mais saudável. 

Aliar os treinos de musculação às atividades coletivas é uma ótima pedida para manter o foco nas saúdes física e mental. As aulas de dança, localizada, crossfit e yoga, por exemplo, proporcionam uma motivação extra aos adeptos das modalidades, pois são praticadas em grupo e isso é importante para incentivar o relacionamento interpessoal após muitos dias de isolamento.

Atividades para além dos estímulos físicos

De acordo com Eduardo Netto, diretor técnico da Bodytech Company, antes da pandemia, o exercício físico era priorizado para preservar a qualidade de vida e saúde, mas agora é tido como uma prática essencial para se manter os sistemas cardiovascular, muscular e pulmonar fortes, resistentes e protegidos contra infecções e viroses.

“Independente da modalidade, a prática de exercícios, no momento atual, possui três importantes pilares: o combate ao sedentarismo, a questão da saúde mental e a melhora da imunidade. Mas o controle constante do espaçamento entre os alunos e o respeito às normas de proteção é a garantia de segurança para uma atividade longe do perigo de contágio”, afirma. 

Nas cidades onde as academias já reabriram com aulas coletivas, os cuidados estão redobrados para aumentar a segurança. Máscaras o tempo todo, dispensers de álcool disponibilizados para a higienização de mãos e equipamentos, limpeza reforçada nos ambientes, demarcação dos espaços para assegurar o distanciamento social e limitação de alunos por aula são alguns dos procedimentos tomados para que clientes e professores estejam seguros.

Performance não deve ser a preocupação nesse instante 

Com a necessidade de utilização de máscaras, os treinos tendem a ser ainda mais cautelosos. A dificuldade na respiração e aumento na sensação de cansaço, devido ao uso desse acessório, leva a crer que o treino não será proveitoso, mas o corpo está em processo de adaptação a esse novo normal. Por isso, o ideal é adequar os exercícios para uma intensidade leve ou moderada até o organismo estar mais confortável a essa mudança.

De acordo com Eduardo, essas primeiras etapas do retorno às academias precisam ser de total prudência, pois as pessoas estão saindo de um período de confinamento, que, na maioria dos casos, foi estressante e afetou bastante a saúde psicológica. Retomar as atividades coletivas auxiliará tanto na recuperação física, quanto emocional. 

“Acredito que o grande diferencial das aulas coletivas é a possibilidade de ter treinos mais variados – mas isso não quer dizer que não seja possível de serem realizados na musculação. Ingredientes como a variedade musical, contato visual constante com o professor e feedback mais imediato, noção de coletividade e incentivo do grupo fazem muita diferença nesse processo”, conta.

Treinar em casa ainda é uma boa alternativa

Para quem a academia ainda está fechada ou voltou sem as aulas em grupo, o aplicativo BTFIT é uma opção possível e gratuita para clientes Bodytech. No total, são seis modalidades disponíveis para complementar o treino na academia ou em casa. Baixe o app no Google Play ou na App Store, escolha entre Cardio Dance, Workout, Yoga, Abdominal, Ballet Fitness e Mat Pilates e mantenha o treino sempre dinâmico. 

Exercício em casa reforça a imunidade e reduz ansiedade

Por |2020-07-23T16:29:24-03:0023/07/2020|