Caso parte dos norte-americanos caminhassem 45 minutos por dia, 46 mil casos de câncer poderiam ser evitados, segundo resultados de uma recente pesquisa que associou atividade física à redução de doenças malignas. Apesar das diferenças entre Estados Unidos e Brasil, é possível fazer um paralelo e corroborar com o que a prática e outros trabalhos já apontam: o exercício físico é fundamental para a prevenção e o tratamento do câncer.

Para chegar à conclusão de que pelo menos 3% dos casos de câncer comuns nos Estados Unidos estão ligados ao sedentarismo, o estudo publicado na revista Medicine & Science in Sports & Exercise avaliou a prática de exercícios e a incidência de câncer em mais de 500 mil pessoas com 30 anos ou mais em todos os estados do país.  

Não é sobre culpar as pessoas

Apesar de o sedentarismo desempenhar um papel potencial, o câncer é complexo e está atrelado a diversos fatores. De acordo com Adair K. Minihan, cientista associada da Sociedade Americana do Câncer, muitas pessoas ativas podem e de fato desenvolvem casos de câncer.

O objetivo do estudo não é fazer com que as pessoas se sintam mal por não se exercitarem ou culpá-las por terem adoecido, diz a pesquisadora. Para Minihan, os números encontrados sugerem que se conseguirmos dedicar 45 minutos do nosso dia ao movimento, podemos reduzir nossas chances de desenvolver doenças graves.  

Aproveite o incentivo do resultado da pesquisa e comece hoje mesmo. Uma caminhada no quarteirão, um passeio de bicicleta ou um treino rápido na academia podem ser o seu início. Confira aqui dicas para começar a gostar de exercício.